Alopecia Feminina, Causas E Tratamentos Para A Cura Da Calvície Feminina

Resultado de imagem para Alopecia Feminina

Alopecia Feminina, Causas E Tratamentos Para A Cura Da Calvície Feminina

A calvície feminina é um problema bastante comum, que afeta até 30% da população feminina. O problema pode estar associada tanto a fatores exógenos, causas externas ao corpo, como a fatores endógenos, aqueles gerados pelo próprio organismo.
É importante ter em conta que ao longo do dia costumamos perder entre 50 e 80 tipos de cabelos. Estes são substituídos por novos cabelos, respondendo a um processo normal do ciclo capilar. Não obstante, uma queda que supera a perda fisiológica normal pode abrigar um problema que, se não for tratado, pode causar a alopecia feminina.
A calvície feminina pode afetar muito a auto-estima de uma mulher, já que o cabelo é uma parte muito importante no aspecto feminino. A imunoterapia pode até mesmo provocar uma auto-exclusão social.
Erroneamente considerada como um problema que afeta somente os homens, a calvície em mulheres pode ser tão comum quanto a masculina. No entanto, costuma apresentar graus diferentes, e as causas também podem ser diferentes. Nas mulheres, a calvície costuma ser iniciado mais tardiamente, pelo menos, não se evidencia de maneira tão precoce, devido a, entre outros motivos, as mulheres costumam usar penteados de cabelo que ajudam a esconder a calvície.

Alopecia androgenética feminina
A alopecia androgenética em mulheres (alopecia androgênica feminina) é uma das principais causas para a queda de cabelo em mulheres. Este fenômeno está intrinsecamente relacionado com a presença de hormônios sexuais (andrógenos) no folículo piloso geneticamente predisposto à doença.
Os folículos pilosos geneticamente marcados, existe um aumento da conversão da testosterona em DHT (dihidrotestosterona) pela enzima 5-alfa-redutase, o que provoca a queda de cabelo em mulheres.
O estrógeno (hormônio sexual feminino) pode, até certo ponto, proteger os folículos dos efeitos dos andrógenos. Com a menopausa, há diminuição hormonal e, portanto, a queda de cabelo pode ser intensificada, fazendo com que a calvície / alopecia feminina seja mais evidente.

Imagem relacionada

Quanto mais cedo se inicia a perda de cabelo, mais severo será o padrão de evolução da calvície em mulheres. O quadro clínico da calvície pode ser ainda mais intenso se a mulher apresenta alterações hormonais associadas, como a síndrome do ovário policístico o hirsutismo.

A alopecia androgênica em mulheres, assim como a calvície em homens, se caracteriza pela perda de cabelo com influência genética e hormonal, por isso que é chamado de alopecia androgenética feminina (AAF).
Determina-se um processo de longa duração, que provoca uma miniaturização dos pêlos. O cabelo normal, em média, a cada quatro anos, entra na fase de repouso (fase telógena) e queda, retornando com a mesma espessura para durar mais quatro anos.

É frequente o início da alopecia depois do parto, na pré-menopausa e após a interrupção do uso da pílula anticoncepcional.
Os andrógenos têm receptores específicos no folículo capilar, que, depois de ser preenchidos, iniciam a reação intracelular, envolvendo o DNA e desencadeando mecanismos provotivos de alopecia. As mulheres também podem desenvolver esta caixa, com níveis de hormônios masculinos normais.

A alopecia androgenética feminina tem uma posição diferente da do homem. Ocorre freqüentemente em toda a região superior do couro cabeludo, mantendo a linha de frente intacta. A perda de cabelo também pode ter uma característica mais difusa e pode ser desencadeada agravada por outros fatores, tais como: anemia, ferro sérico baixo, alterações dos hormônios da tireóide, uso de drogas, emagrecimento, entre outros.

Principais sintomas e causas da calvície feminina
Os sintomas mais evidentes da calvície feminina é a perda excessiva de cabelo. Outros sintomas comuns são:
• Refinamento do cabelo;
• Aspecto opaco e pouco sedoso;
• Menos densidade do cabelo, sobretudo na área frontal da cabeça.

A calvície em mulheres pode ser causada por um conjunto de circunstâncias, e, nestes casos, apenas um profissional será capaz de identificar a verdadeira origem. Atualmente, as principais causas da calvície em mulheres são:
Alopecia feminina causada por fatores genéticos

A alopecia androgênica, androgenética, a calvície é determinada por padrões genéticos, ou seja, é uma condição herdada do pai, da mãe, até mesmo de ambos. Este tipo de calvície se manifesta, geralmente, de forma progressiva, podendo começar em breve, após a puberdade, quando os hormônios sexuais começam a ser produzidos e ir piorando ao longo da vida, atingindo a sua fase mais crítica na menopausa, quando ocorre uma diminuição relevante de hormônios em mulheres.

Imagem relacionada

Calvicie femenina hormonal
A definição de causa hormonal é semelhante à anterior, porém, este distúrbio dos níveis de hormônios pode não estar relacionado com as características genéticas. A tireóide – uma importante glândula que produz substâncias indispensáveis para o funcionamento de todo o organismo – pode estar desregulada, e com isso, o corpo sofre diversas doenças, entre elas, a queda de cabelo. Outra causa importante de alteração hormonal, e, consequentemente, de alopecia, é a síndrome do ovário policístico, que é comumente afeta as mulheres em idade reprodutiva, produzindo hormônios masculinos, além da quantidade normal. O período pós-parto também pode ser seguido por uma perda capilar intensa, devido às bruscas mudanças nos níveis de hormônios.

Problemas nutricionais como a causa da calvície em mulheres
As deficiências de nutrientes são importantes causas de queda e enfraquecimento dos cabelos. Entre elas, destacam-se a anemia, que é a diminuição de ferro na corrente sanguínea, e a carência de vitaminas e minerais, indispensáveis para que os fios nasçam, cresçam e se mantenham o tempo necessário no bulbo capilar.

A alopecia feminina por causas emocionais
Não é novidade que a gente, quando estamos atravessando um momento emocional difícil, sentimos várias alterações no nosso corpo. Seja em aumento da transpiração e dos batimentos do coração, nas variações do apetite no nível de energia, nosso estado emocional é capaz de causar danos gigantescos. Entre as causas mais comuns para a alopécia feminina, encontra-se o stress e a depressão.

Outras manifestações orgânicas, que envolve o funcionamento geral do corpo, podem causar contribuir com o desenvolvimento da alopeci, tais como o uso de certos medicamentos, a interrupção do uso de contraceptivos, a alimentação inadequada – causando deficiências nutricionais, já citadas – e as reações alérgicas locais e sistêmicas.
Fatores ambientais exógenos

Das causas enumeradas até agora, observe que todas elas descrevem alterações internas do organismo, mas existem vilões externos”, causando a temida calvície, mas não estão relacionados a fatores endógenos.
A inflamação do couro cabeludo pode ser causada pelo uso de produtos agressivos para a pele, como por exemplo, as tinturas, os processos químicos de alisamento do cabelo, o uso excessivo do secador ferro de engomar, etc. São fatores externos que contribuem para o surgimento da calvície na mulher.

Como foi dito, as possíveis causas da calvície em mulheres são inúmeras, e saber quais delas estão causando o problema pode exigir a ajuda de um profissional. Alguns salões de beleza e centros de estética contam com aparelhos que fazem o diagnóstico capilar, o que significa que são capazes de identificar alterações na superfície do couro cabeludo, como o excesso de oleosidade, por exemplo, que obstrui os poros e, consequentemente, dificulta o crescimento do cabelo, podendo ocasionar fraqueza e queda – e mostram ainda possíveis lesões e a aparência microscópica dos pêlos.

Somente um médico pode solicitar exames laboratoriais e que detectam alterações hormonais e carências nutricionais, e, a partir dos resultados obtidos e de um criterioso exame clínico, é possível definir o melhor tratamento e utilizamento dos melhores remédio para queda de cabelo feminino.
Em algumas situações, o médico pode solicitar uma biópsia do couro cabeludo. Nesse processo, toma-mostra de um pedaço de pele para fazer uma análise do tecido.
Muitos são os tratamentos disponíveis para tratar a calvície em mulheres, cada um se adapta melhor a diferentes casos, mas é indispensável a prescrição e acompanhamento médico e o uso de DHT Blocker.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *